EXPRESSO DE FELGUEIRAS: 15 anos de história de jornalismo isento e com rigor

O rigor, a competência e a dedicação de Armindo Mendes, jornalista com anos de experiência, aliados à paixão de Miguel Carvalho, envolvido nos jornais desde os 12 anos, fizeram “nascer” o Expresso de Felgueiras, que faz história no jornalismo local e regional há 15 anos.

 

A interação de um jornalista profissional, na altura diretor do Jornal de Amarante e também com experiência na imprensa nacional, e um jovem aprendiz ditou as bases daquilo que hoje é o Expresso de Felgueiras: um órgão de comunicação social direcionado para o concelho de Felgueiras, que prima pelo rigor da notícia, pela verdade e pela simplicidade em contar os factos.

“O Expresso de Felgueiras surgiu em 2006, mas eu alimentava o desejo de ter um jornal já há alguns anos. Depois de vários anos a trabalhar noutros projetos, achava que tinha capacidades para liderar algo próprio, pondo em prática as minhas ideias”, começa por recordar Armindo Mendes, que conheceu, em Amarante, Miguel Carvalho.

“A interação foi muito natural e genuína, facilmente intuímos esta paixão pela comunicação e sobretudo os jornais. Não posso deixar de recordar e assinalar esses primeiros anos em que nos conhecemos e onde aprendi muito do que sei e sou hoje com o rigor, competência, dedicação do Armindo ao jornalismo”, acrescenta Miguel Carvalho.

Capa da primeira edição do Expresso de Felgueiras

 

Foi no final de 2005 que ambos começaram a projetar a ideia de criar e desenvolver um título próprio, assumindo-o como a principal atividade profissional e a materializar os procedimentos para que assim se concretizasse.

“Até que no fim de março de 2006 demos à estampa a primeira edição do Expresso de Felgueiras”, assinala Miguel Carvalho.

“Foram dias, semanas, meses e muito trabalho, muito entusiasmo e alguma ansiedade. Eram muitas as dificuldades, mas conseguimos quase sempre superá-las, porque acreditávamos que estávamos a fazer algo importante, a construir um projeto que traduzia a nossa forma irreverente de ver um jornalismo atento, independente e plural”, completa Armindo.

 

Vencer as desconfianças dos setores políticos

A ousadia dos dois fundadores do jornal, que se pautaram por criar um projeto independente, credível e plural, conseguiu superar as dificuldades iniciais.

“Inovamos na abordagem, fomos ativos e interventivos no tratamento da informação, originais no design e apresentação gráfica do jornal, ousados nas plataformas web ao permitir que as pessoas facilmente, através da disponibilização diária de conteúdos online, pudessem aceder, em qualquer parte do mundo, facilmente à informação de proximidade”, refere Miguel Carvalho.

Apesar de uma nova abordagem no tratamento da informação, os primeiros passos foram dados com dificuldades, sobretudo “pela desconfiança de alguns setores em relação aos propósitos dos fundadores do jornal”, explica Armindo Mendes.

“Pensavam que teríamos por trás interesses obscuros, nomeadamente de natureza política, o que nunca aconteceu”, vincou.

Certos das capacidades e de apresentar jornalismo isento, Armindo Mendes e Miguel Carvalho foram superando as dificuldades e conseguiram a afirmação consistente do Expresso de Felgueiras.

Afirmação que foi determinante para a implementação de outros projetos informativos na região como o Tâmega Jornal, o Tâmegasousa.pt, o Expresso de Amarante e o Penafiel Magazine.

Contudo, os projetos informativos não se ficam por aqui e o futuro “faz-se de projetos e desafios”, confessa Armindo Mendes.

“Estamos sempre à procura de melhorar e de inovar”, acrescenta, lembrando que “foram pioneiros em muitas coisas em Felgueiras e na região, nomeadamente na aposta no ‘online’, no multimédia e nas redes sociais”.