FC Felgueiras perde no terreno do União Torcatense

O Futebol Clube de Felgueiras perdeu, no domingo, frente ao União Torcatense (Guimarães), em partida a contar para a jornada dois, do Campeonato de Portugal Prio fase de manutenção série B.

O encontro ficou marcado pelas estreias de Belly, Miguel Pereira e Estevão.

A formação felgueirense, orientada pelo técnico Rui Luís, entrou mal no encontro e viu o Torcatense criar a primeira situação de perigo ao minuto 11, com um jogador da formação da casa a rematar forte com o guarda-redes do Felgueiras, Cajó, a opor-se com segurança.

A equipa da casa, nesta fase do encontro foi melhor que o Felgueiras e ao minuto 14, José Costinha desferiu um remate que levava o selo de golo para nova intervenção de Cajó que se opôs novamente com êxito evitando que a formação da casa inaugurasse o marcador.

O FC Felgueiras, ao minuto 17, queixou-se da decisão do juiz do encontro, da Associação de Futebol de Aveiro, que esqueceu-se de admoestar um jogador da formação da casa, quando Rui Magalhães, já ia isolado para a baliza e foi impedido de progredir. Ficou por mostrar o vermelho e a respetiva sanção disciplinar. O lance motivou muitos protestos do banco felgueirense.

Ao minuto 23, a equipa da casa colocou a bola no fundo da baliza defendida por Cajó, mas o lance foi anulado por alegado fora de jogo. O lance motivou vários protestos dos adeptos da casa que contestaram a decisão do árbitro.

Quase a terminar a primeira parte, o União Torcatense fez o 1-0 na conversão de uma grande penalidade, marcado por José Costinha que perante Cajó abriu o marcador.

Na segunda metade, Rui Luís  fez várias alterações e fez entrar Miguel Pereira para o lugar de Zé Rebelo com Belly a recuar.

A primeira grande situação de perigo da segunda parte foi do Felgueiras, por Christiano que desferiu um remate violento, com o guarda-redes do União Torcatense a fazer uma grande defesa.

Ao minuto 66, o técnico do Felgueiras mexeu novamente na equipa, fazendo entrar Sardinha, que entrou para o lugar de Fábio Teixeira.

Apesar das alterações, a formação da casa foi sempre mais perigosa e chegou ao segundo golo, ao minuto 73,  num lance em que Cajó defendeu um primeiro remate mas foi impotente para suster a recarga.

Um minuto depois (minuto 74) o treinador do Felgueiras colocou em campo Estevão para o lugar de Rui Magalhães.

Quase a terminar o encontro, Miguel teve nos pés a melhor oportunidade para o Felgueiras reduzir, mas a bola acabou por embater na barra.

Numa análise ao encontro Rui Luís assumiu que a partida de domingo teve duas partes distintas.

“Na primeira parte estivemos aquém do que pretendia, mas na segunda o Felgueiras entrou com outra atitude, infelizmente não conseguimos marcar nem pontuar conforme era nosso objetivo”, disse.

O treinador do Felgueiras criticou, por outro lado, a equipa de arbitragem pela abordagem que teve nalguns lances.

“Apesar de não ter por hábito falar da arbitragem, o juiz do encontro esteve manifestamente mal na abordagem dos lances. Há um lance que pode decidir o jogo, com um jogador do Felgueiras a passar por um adversário, ficava isolado e o árbitro simplesmente deixou passar o lance, sem exibir nenhum cartão e marcar falta”, adiantou.

Rui Luís queixa-se, ainda, do lance em que Miguel, quase a terminar o encontro, faz a bola embater com estrondo na barra.

“Na minha opinião a bola entrou, mas o árbitro simplesmente não assinalou”, frisou, estranhando o comportamento do juiz no final do encontro  que mostrou um vermelho a um atleta do Felgueiras, porque este não o quis cumprimentar.

“Simplesmente o meu atleta não estendeu a mão ao árbitro para o cumprimentar e este resolveu admoestá-lo com um cartão vermelho”, sustentou, classificando o gesto juiz da partida de inadmissível.

“Desde quando é que um jogador é obrigado a cumprimentar a equipa de arbitragem”, questionou.

O FC Felgueiras é segundo e 14 pontos conquistados. Na próxima jornada joga em casa com o S. Martinho que empatou no domingo, em casa, com o Arões e é segundo classificado, com 16 pontos. Tem menos quatro que a Associação Desportiva Oliveirense, que é primeira classificada.