FC Lixa aponta aos cinco primeiros lugares da Divisão de Elite (C/ÁUDIO)

Filipe Mesquita quer um FC Lixa “ambicioso” e a lutar pelos “cinco primeiros lugares” da Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto (AFP), na próxima temporada.

 

O técnico azul e branco quer “evitar o sufoco da época transata”, na qual a formação do concelho de Felgueiras passou grande parte do campeonato colocada em zona de descida.

“Temos que fazer uma época melhor, ao nível daquilo que é o Lixa nesta divisão. Sabemos que há equipas que estão a apetrechar-se de uma forma muito forte e estão a apostar tudo na subida. Mas o Lixa também está a preparar uma equipa competitiva para conseguir andar, pelo menos, nos cinco primeiros lugares”, adianta.

 

 

Filipe Mesquita promete que a equipa “vai entrar em todos os jogos para ganhar, a dar tudo dentro de campo e a honrar o símbolo que traz ao peito”.

Para evitar os sobressaltos da temporada anterior, o técnico, de 42 anos, está a operar uma verdadeira revolução no plantel. Apenas “sete jogadores” renovaram contrato: os defesas Rui Cunha e Bruno Santos; com os médios Pedro Pinto, Valentine Akpey e Ruben Moreira e com os avançados Robertinho e Lucas Sheldon.

“No ano passado, a época não foi a melhor e a prestação de muitos jogadores, se calhar, também ficou aquém das expetativas. Por isso, estamos a tentar fazer uma equipa mais competitiva”, explica Filipe Mesquita.

 

 

Até ao momento estão assegurados seis reforços: Flávio Brandão e Nani (ex-Aliança Gandra), Pedro Batista (ex-Barrosas), Rafa Costa (ex-Rebordosa), Lucas Chaparro (ex-Racing Eduardo Castex) e Zito Gomes (ex-Oliveira Bairro).

O grupo trabalho está longe de estar fechado. Filipe Mesquita admite algumas “dificuldades” na construção do plantel, até porque o FC Lixa “não pode entrar em grandes loucuras financeiras”.

 

 

“Mas acho que todos os reforços que já fomos buscar e ainda aqueles que estão em cima da mesa para poderem vir, serão mais-valias para o Lixa”, afiança.

Hugo Reis foi recentemente nomeado presidente do FC Lixa. Substituiu Jorge Teixeira, que foi eleito a 22 de maio, mas que renunciou ao cargo, alegando motivos profissionais.

Filipe Mesquita garante que a troca na presidência em nada está a influir na preparação da nova época.

 

 

“Este é um campo no qual eu não quero entrar. Mas este não foi um problema. O caminho é o mesmo, as linhas de pensamento são as mesmas, por isso não vai alterar nada”, sustenta.