Felgueiras abriu ao público o “Caminho de Torres” com 16,9 quilómetros

O Município de Felgueiras abriu ao público, no domingo, “Caminho de Torres em Felgueiras”, uma rota turística e cultural dos caminhos de Santiago, informou fonte da autarquia.

 

O “Caminho de Torres em Felgueiras” tem uma extensão de 16,9 quilómetros, grau de dificuldade baixa e com uma duração entre 3h30/4 horas.

O percurso abrange as seguintes freguesias Borba de Godim, Macieira da Lixa, Vila Cova da Lixa, Caramos, Moure, S. Jorge de Várzea, Refontoura, Margaride, Lagares, Pombeiro e Vila Fria.

Partindo de Borba de Godim, na Lixa, a caminhada começa no acesso à quinta do Paço de Borba de Godim, destacando-se a passagem pelo centro histórico da cidade da Lixa, por Caramos, pelo centro histórico da cidade de Felgueiras, pelo Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro, terminando na Ponte Romana do Arco, em Vila Fria, onde o Caminho de Torres segue, atravessando o rio Vizela, para Guimarães – berço da nacionalidade.

O “Caminho de Torres em Felgueiras” encontra-se sinalizado e interpretado.

 

O CAMINHO DE TORRES

O Caminho de Torres é uma das rotas que une Salamanca a Santiago de Compostela, com cerca de 600 quilómetros e 24 etapas, juntando as localidades importantes, entre as quais Felgueiras, para o imaginário medieval jacobeu.

Este trabalho esteve na base do projeto de “Valorização Cultural e Turística do Caminho de Torres”, liderado pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, em parceria com as Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, do Ave, do Cávado e do Douro.

O projeto tem como objetivos proceder ao levantamento, do ponto de vista histórico e geográfico, à intervenção e à valorização de parte do traçado do Caminho de Torres, ou seja, os cerca de 235 quilómetros correspondentes à extensão do território de influência das cinco Comunidades Intermunicipais parceiras.