Felgueiras tem a fatura de água mais baixa do distrito do Porto

Um estudo da Deco/Proteste indica que o custo da fatura da água, saneamento e lixo do concelho de Felgueiras é o mais baixo do distrito do Porto, informou hoje fonte da Câmara de Felgueiras.

 

Em comunicado, a autarquia adianta, ainda, que a qualidade da água do município “é 100 por cento segura”, segundo a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSE).

Citando dados Deco/Proteste, o município indica que o consumo médio de 120 metros cúbicos anuais de água tem um valor médio, em Felgueiras, de 228,24 euros e de 319,44 euros para os 180 metros cúbicos.

A autarquia sublinha que em comparação com os custos aplicados por municípios limítrofes há uma diferença média de 143,55 euros para um consumo de 120 metros cúbicos anuais e de 187,03 euros para 180 metros cúbicos.

Estes valores incluem o abastecimento de água, saneamento e resíduos sólidos, sublinha.

Em termos nacionais, o último lugar do ranking dos dez municípios com o valor mais elevado médio tem um valor anual de 402,34 euros “o que se traduz numa grande diferença para o concelho de Felgueiras (228,24 euros), demonstrando que o município está distante dos concelhos com os custos/ano mais elevados no que à fatura ambiente respeita”, acrescenta.

A autarquia adianta, ainda, que segundo dados publicados pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSE) para os últimos três anos “a percentagem de segurança da água a ser fornecida pelo município de Felgueiras ronda os 100 por cento”.

Citado em comunicado, o vereador Joel Costa, salienta o trabalho do município para “garantir o fornecimento de água com qualidade, na quantidade necessária e a um baixo custo”.

“Estes são fatores importantes a ter em conta numa adesão à ligação da rede pública de abastecimento de água”, recorda. E acrescenta:

“A capacidade de fornecimento público de água à população constitui um serviço fulcral ao bem-estar, à saúde pública e à segurança coletiva da comunidade, às atividades económicas e à preservação do ambiente, daí ser importante que os habitantes consumam água da rede pública a preços acessíveis.”