FUTEBOL: DIVISÃO ELITE/SÉRIE 2 AFP: Rescaldo da 7ª Jornada (C/ÁUDIO)

 

O União de Paredes continua a realizar um arranque de temporada irrepreensível na série 2 do principal escalão da Associação de Futebol do Porto (AFP). O conjunto azul ainda não cedeu qualquer ponto, tendo somado a sétima vitória consecutiva (2-1) na receção ao Lixa.

A equipa comandada por Eurico Couto entrou no jogo a ganhar, o que “deu algum conforto”, admite o treinador, que considera que o resultado podia ter sido “por um número maior de golos”.

“Entramos na segunda parte e fizemos novo golo. Depois tivemos várias situações para poder fazer o 3-0, não fizemos, e acabamos por sofrer o 2-1, aos 94’”, explica.

O Paredes lidera a pauta classificativa com 21 pontos. Tem no vizinho Aliados de Lordelo o principal perseguidor. Os lordelenses alcançaram, em casa, frente ao Vila Meã, o sexto triunfo consecutivo (1-0).

O golo da turma comandada por Pedro Barroso foi apontado nos últimos minutos da primeira metade do encontro.

“Na segunda parte, em vantagem, demos a iniciativa ao Vila Meã. Eles conseguiram ter bola, e nós conseguimos criar mais uma ou outra situação. O fundamental foi o espirito que nós tivemos para conseguir segurar a vantagem, contra um adversário poderoso e que dificultou muito a nossa tarefa ”, reconhece técnico do Aliados.

Para o técnico amarantino, “o adversário foi mais eficaz” e esse foi o fator que desequilibrou a partida a favor dos paredenses.

“O Vila Meã teve mais posse de bola, criou várias oportunidades para empatar e o Aliados foi mais feliz, teve a oportunidade que teve e concretizou”, garante Paulo Amor.

A formação rubro-negra sofreu a segunda derrota consecutiva. Caiu para o 4º posto da tabela, ultrapassado pelo Rebordosa, que recebeu e bateu o Barrosas, por 1-0.

Andrés Madrid assegura que a vitória do emblema do concelho de Paredes “é justa”. Um lance de bola parada permitiu somar a terceira vitória consecutiva, mas o treinador rebordosense acredita que “no futuro a equipa ainda ficará mais forte quando todos os jogadores estiverem disponíveis”.

Já para Tonanha, o Barrosas “merecia, sem dúvida alguma, outro resultado”.

“Se viesse com um empate já não vinha muito convencido, mas até aceitava. Vim com a derrota, obviamente que venho triste. Fomos a melhor equipa em campo, fomos a equipa com mais oportunidades e com mais posse”, afiança o treinador felgueirense.

No Prenhô, o Baião estreou-se a ganhar intramuros, esta temporada, ante o Penafiel B (2-1). Os forasteiros foram para o intervalo em vantagem, mas na segunda parte tudo se alterou.

“Na reta final conseguimos impor o nosso jogo, que ficou algo partido com lances nas duas balizas, mas conseguimos reagir bem, virar o jogo e conseguimos a primeira vitória em casa, que era importante para nós e para a nossa massa associativa”, regozija-se Filipe Teixeira.

No Penafiel B, Hugo Neto não disfarçou o desapontamento pela derrota, após a equipa rubro-negra ter chegado ao intervalo na frente do marcador.

“Entramos bem no jogo, conseguimos marcar e tivemos mais oportunidades na primeira parte. Na segunda parte, podíamos ter ampliado o resultado e mandamos uma bola ao ferro. Sofremos o golo do empate por incompetência nossa. Sofremos o segundo golo, após uma falta ter sido marcada de forma injusta e incorreta”, explica o técnico penafidelense.

A derrota em Baião fez regressar o Penafiel à zona de despromoção, onde permanece o São Pedro da Cova, que foi derrotado, intramuros, pelo Tirsense (0-1), e de onde saiu o Nun’Álvares, que, pelo mesmo resultado, foi vencer a Folgosa da Maia.

O Paços de Ferreira B não foi além de uma igualdade (1-1) na receção ao Vilarinho. Os ‘castores’ estão há três jogos sem ganhar. O mesmo desfecho teve o duelo entre Sobrado e Ermesinde.

 

Luís Miguel Nogueira