Hugo Reis substitui demissionário Jorge Teixeira na presidência do FC Lixa (C/ÁUDIO)

Hugo Reis é o novo presidente do Futebol Clube da Lixa. O empresário, de 30 anos, foi nomeado, por unanimidade, pela direção do clube azul e branco, em Assembleia Geral Extraordinária. Substitui Jorge Teixeira, que foi eleito a 22 de maio, mas que renunciou ao cargo, alegando motivos profissionais.

 

Hugo Reis, que foi jogador da formação do Lixa e até aqui exercia funções de vogal da direção, confessa que a sua indicação para presidente “foi inesperada”. “Fui convidado para fazer parte da direção para ajudar. Não estava à espera de me tornar, algum dia, presidente do Lixa”, garante.

Ainda assim, assume que se sente preparado para o cargo que vai desempenhar durante o próximo ano.

 

Treinador do Lixa

 

“Já tenho alguma experiência a nível do associativismo. Isto é diferente, mas sinto-me preparado, porque tenho uma equipa fantástica, já com alguma experiência, que me vai ajudar”, assinala.

 

 

Hugo Reis promete marcar a sua atuação em dois eixos, que considera “fundamentais”, de modo a acordar “um clube grande adormecido”.

“Quero unir toda a população da Lixa em redor do clube. É publico que a última assembleia não correu bem e há pessoas descontentes com a atual direção. O meu objetivo é explicar-lhes que só um Lixa unido faz sentido para poder crescer. Outro aspeto fundamental é dar todas as condições e pôr as camadas jovens a funcionar como deve ser”, revela.

 

 

Em relação à equipa sénior, que vai disputar a Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto (AFP), “o objetivo é ganhar todos os jogos, seja contra quem for”.

“Acho que o Lixa, pela sua história, não se pode assustar com as outras equipas, temos de ganhar todos os jogos. Há jogos que, infelizmente, não vamos conseguir, mas no final, quando se fizerem as contas, queremos estar no lugar mais alto possível da tabela classificativa”.

 

 

Hugo Reis confirma que o plantel sénior, que será orientado por Filipe Mesquita, está praticamente construído. “Faltam apenas limar alguns pormenores e acho que dá garantias para ganhar a maioria dos jogos”, sublinha.

Até ao momento, o FC Lixa oficializou as renovações de contrato com os defesas Rui Cunha e Bruno Santos, com os médios Pedro Pinto, Rúben Moreira e Valentine Akpey e com os avançados Robertinho e Lucas Sheldon.

Zito Gomes (ex-Oliveira Bairro), Flávio Brandão e Nani (ex-Aliança Gandra), Pedro Batista (ex-Barrosas), Rafa Costa (ex-Rebordosa) e Lucas Chaparro (ex-Racing Eduardo Castex) são reforços.

 

Hugo Reis admite alguma “desconfiança” em relação ao arranque da nova época desportiva, devido ao surto da Covid-19.

 

 

“Existe a possibilidade de uma segunda vaga da doença e, por isso, estamos à espera do que pode acontecer. Por nossa vontade, o campeonato começava já em setembro, mas não sei como a Direção-Geral de Saúde vai resolver esta questão”.

“Os profissionais são testados semanalmente para poder jogar. Como nós não temos orçamento, nem possibilidade de testar os nossos atletas, não sei como vamos resolver. Temos de esperar. Eu acredito que haverá futebol, até porque o Lixa, assim como as outras equipas, já estão a andar e têm despesas. Portanto, o futebol tem de arrancar, só não sei em que moldes”, conclui.