IP e autarquias decidem avançar com estudo prévio sobre Linha do Vale do Sousa

A Câmara de Paços de Ferreira informou hoje que a Infraestruturas de Portugal (IP) vai realizar um estudo prévio sobre a construção da linha ferroviária do Vale do Sousa, matéria hoje acordada pelos autarcas da região.

 

Fonte do município disse à Lusa que a questão foi analisada numa reunião por videoconferência, tendo-se decidido que um protocolo entre as partes (município e IP) para a realização do estudo será celebrado após o verão.

Na reunião participaram o vice-presidente da IP, Carlos Fernandes, os presidentes das câmaras de Paços de Ferreira, Lousada, Paredes, Felgueiras e Valongo e o secretário executivo da CIM do Tâmega e Sousa, Telmo Pinto.

A linha ferroviária do Vale do Sousa, reclamada pelos cinco municípios, está incluída no Programa Nacional de Investimentos 2030.

 

reunião linha do vale do sousa

 

Um estudo da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa concluiu que uma ligação ferroviária entre o Porto e Felgueiras, reclamada pelo território, gerará resultados positivos de quatro milhões de euros por ano.

Estima-se que a infraestrutura seria integrada no serviço suburbano do Porto da CP, que ganharia cerca de sete milhões de passageiros por ano, apontando-se a duas ligações por cada hora de ponta a partir de Felgueiras e uma a partir do Porto.

A construção de uma nova via-férrea entre a Linha do Douro, em Valongo, e Felgueiras (38 quilómetros), passando por território de Paredes, Paços de Ferreira e Lousada, designada como “Linha do Vale do Sousa”, representaria um custo de 181 milhões de euros.

A aquisição de material circulante poderia obrigar a um custo de 27 milhões de euros.