Liderança “clarificada”!

As eleições legislativas do próximo domingo prometem não ser clarificadoras no sentido de uma maioria inequívoca, capaz de governar o nosso país com estabilidade e sem sobressaltos político-partidários. O que as sondagens dizem – e bem sabemos as vicissitudes que as mesmas têm sofrido em atos eleitorais anteriores -, é que existe na prática um empate técnico entre a AD (PSD, CDS/PP, PPM) e o Partido Socialista), e uma enorme percentagem de indecisos que irão decidir o voto muito perto do exercício do direito de voto, e que podem, ou não, contribuir para resultados clarificadores!

Mas, se no país temos um quadro político nebuloso, incerto, a nível local estas eleições permitiram de uma vez por todas, a nível público, clarificar quem é o líder de facto do Partido Socialista/Felgueiras: Nuno Fonseca!

O posicionamento público, as “presenças”, a campanha, a intervenção ativa que teve na eleição de Pedro Nuno Santos e na vitória pífia em Felgueiras, não permitirão que de agora em diante Nuno Fonseca diga que é “independente”. Alguns certamente já se questionaram sobre o porquê disto acontecer? 

Pois bem, chegou o momento em que o presidente da câmara tem que retribuir as “boas graças” que recebeu!

 

A história é sempre um fiel retrato do passado, e por isso podemos recordar como o PS, principalmente através de personalidades como Manuel Pizarro e Nuno Araújo, foi instrumental para que Nuno Fonseca conseguisse concorrer às eleições de 2017, abandonando uma carreira de empresário para se tornar político!

 

E bem sabemos, como a política tem sido pouco atraente para que profissionais bem sucedidos na sua atividade privada se sintam motivados pela participação ativa, e no abandono da sua atividade profissional para ingressar na “causa pública”.

Claro que se pode sempre argumentar que sem Nuno Fonseca o PS/Felgueiras corria o risco de não apresentar uma candidatura, o que não é verdade, ao contrário do seu inverso!

Se durante os últimos anos, primeiro atrás do arbusto, com Miguel Faria na liderança da concelhia socialista, depois de forma mais clara com Marco Silva na concelhia e chefe de gabinete do presidente, agora é absolutamente claro quem tem as rédeas do poder na concelhia do PS/Felgueiras. E esta assumpção pública tem pelo menos uma consequência e uma conclusão.

A consequência é que Nuno Fonseca ficará umbilicalmente ligado aos resultados eleitorais concelhios do PS nestas legislativas!

A conclusão é que o apoio do Partido Socialista é condição obrigatória para a candidatura à reeleição nas próximas autárquicas! A reforçar esta conclusão/tese, está o facto de praticamente todo o executivo municipal marcar presença em várias iniciativas de campanha!