Lousada vai ter a primeira Paisagem Protegida Local no Tâmega e Sousa

O vale do rio Sousa, em Lousada vai ser a primeira Paisagem Protegida Local no interior do distrito do Porto, disse hoje à Lusa o vice-presidente da autarquia.

 

“A criação da Paisagem Protegida Local do Sousa Superior é o resultado de um trabalho complexo e silencioso desenvolvido ao longo de quase quatro anos, que identificou a fauna, a flora, a geologia e o património identificado e cultural do território”, afirmou Manuel Nunes.

Segundo o autarca, a paisagem protegida abrangerá 1.500 hectares, o que corresponde a cerca de 20% do território do concelho de Lousada.

O rio Sousa, afluente do Douro, nasce em Felgueiras e evolui para sul, em direção a Lousada, estendendo-se por cerca de 12 quilómetros naquele município.

Recentemente, anotou o vereador do Ambiente, o projeto foi apresentado à sociedade civil de Lousada, através de sessões abertas à população, em diferentes pontos do concelho.

Rio Sousa Lousada 3 discussão pública

“Este tem sido, desde a primeira hora, um projeto participativo. As pessoas opinaram sobre como ajudar, nomeadamente sobre o plano de gestão do território”, acrescentou.

O vice-presidente da câmara referiu, a propósito, que o documento de base à paisagem protegida incorpora 61 propostas apresentadas pela sociedade civil.

O dossier técnico do projeto apresenta mais de 300 páginas e nele é feita a caracterização pormenorizada da área atravessada pelo rio Sousa no concelho de Lousada, nos diferentes domínios.

 

Tudo estará pronto no princípio de 2020

O documento vai ser em breve submetido a votação no executivo municipal e transitará posteriormente para a assembleia municipal. Cumprida essa fase política, avançar-se-á para o período de discussão pública.

Manuel Nunes estima que, formalmente, o processo esteja concluído no primeiro trimestre de 2020.

O trabalho realizado até ao momento por uma equipa específica da autarquia, referiu, tem sido acompanhado de perto pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), cujos técnicos têm sido “muito colaborantes”.

O autarca sublinha o envolvimento do ICNF, porque a fase seguinte será a integração da Paisagem Protegida Local do Sousa Superior na Rede Nacional de Áreas Protegidas, prevendo-se que tal ocorra “com naturalidade”, uma vez que Lousada “cumpre o que é exigido”.

Destacando a importância estratégia da preservação e valorização do rio Sousa no contexto de desenvolvimento do concelho, acentuou que esse aspeto já estará, também, plasmado no processo em curso de revisão do Plano Diretor Municipal de Lousada.

 

À espera de Felgueiras

A paisagem protegida agora anunciada para o Sousa Superior poderá ser o primeiro passo para que outros concelhos atravessados pelo rio, como Felgueiras, a montante, e Penafiel e Paredes, a jusante, possam juntar-se àquela dinâmica de classificação ambiental, defendeu.

Se tal ocorresse, prosseguiu, seria até possível agregar o Parque das Serras do Porto, que já compreende algum território de Paredes, criando-se “uma grande área de paisagem protegida”, entre Valongo e Felgueiras, a integrar na Rede Natura 2000.

Em paralelo, observou, prossegue em Lousada o projeto que prevê a criação de micro-reservas, em vários pontos do município, com o propósito de preservar o património ambiental no concelho.