Mais de 3.000 pessoas assistiram à passagem do desfile de Carnaval de Jugueiros

Mais de 3.000 pessoas assistiram, na terça-feira, ao tradicional desfile de Carnaval de Jugueiros, em Felgueiras, disse o presidente da Junta de Freguesia, Manuel Castro.

“Apesar da chuva e do frio, estavam nas ruas da freguesia mais de 3.000 pessoas quando habitualmente costumamos ter cerca de 10.000 espetadores”, disse o autarca, que salientou que todo o percurso foi feito sob chuva intensa.

Ao Expresso de Felgueiras, frisou que o cortejo contou com a presença de 15 carros.

“Contávamos sair com 18 carros, mas as condições atmosféricas adversas não permitiram que os restantes entrassem no desfile. Estamos a falar, nalguns casos, de carrinhos e outras estruturas feitas à mão e os seus proprietários não quiseram danificá-las”, destacou, lembrando que os carros que levavam crianças optaram, também, por não sair.

“Todos os demais figurantes integraram o cortejo. Conseguimos até que o grupo de bombos acompanhasse o corso, dentro de uma carrinha que disponibilizamos para o efeito”, afirmou.

desfile de carnaval de Jugueiros 8

O autarca referiu que o tema do Carnaval, deste ano, foi o programa da TVI “A Quinta”.

“Já tínhamos retratado o programa da RTP “Preço Certo”, frisou, referindo que a sátira e os temas políticos estiveram, uma vez mais, presentes e foram motivo de sátira e risada por parte dos espetadores.

Manuel Castro sublinhou que outro dos temas que esteve em destaque foi o dos refugiados.

“Disponibilizamos uma carrinha que transportou vários figurantes vestidos de refugiados sírios trajados a rigor”, destacou, salientando que a ideia foi a de discutir um tema que é tabu no concelho.

“Como o concelho de Felgueiras não recebeu qualquer família de refugiados e como ninguém quer falar do tema, lembramo-nos de mencionar o assunto”, acrescentou.

Desfile de Carnaval de Jugueiros 1

O presidente da Junta de Freguesia de Jugueiros recordou que o corso carnavalesco da freguesia é único no concelho e reveste-se de um caráter muito próprio.

“O cortejo não leva nenhum carro alegórico. Somos um cortejo tradicional e queremos preservar as tradições”, explicou lembrando que o desfile é, também, uma demonstração da alegria dos habitantes da freguesia empenho, trabalho e esforço.

Manuel Castro referiu que outros dos momentos simbólicos do Carnaval  foi o já usual “Enterro do Entrudo”, uma tradição antiga e que consiste em queimar um boneco e fazer-lhe as exéquias finais.

“O enterro do entrudo encerra o fim dos festejos carnavalescos”, assegurou, lembrando que este é um momento vivido com grande entusiasmo pela comunidade local.