Mais um aniversário

Felgueiras comemorou o seu 26º aniversário da elevação à categoria de cidade no passado dia 13 de julho. Em vinte e seis anos foram muitas as transformações que aconteceram na cidade e concelho. Nem todas foram positivas, o enquadramento urbanístico e o caos daí decorrente poderiam ter sido evitados tal como já referi neste mesmo espaço de opiniões noutras ocasiões. Mas muitas outras foram positivas.
O relançamento da confiança aos felgueirenses desde 2009, com o bem conseguido slogan “Felgueiras + Positiva” e que serve de mote para as inúmeras atividades desportivas, culturais, económicas, sociais e de turismo que têm sido realizadas nestes sete anos, veio ajudar os felgueirenses, e o país, a esquecer o pântano e a má imagem em que o PS Felgueiras deixou.
Longe vão os tempos em que, saídos de Felgueiras, nos referenciavam logo como sendo originários de terra de esquemas diversos. Hoje somos conhecidos não apenas pelo calçado, mas também pela doçaria e inúmeros produtos agrícolas em que somos os maiores produtores e exportadores. De um clima de medo e contenção da opinião pública, passamos para um clima de abertura de opinião, de crítica livre, sempre saudável quando construtiva (não confundir com a difamação, a calúnia, o insulto fácil das redes sociais, cheias de falsos perfis).

Claro que há muito ainda por fazer! Mal seria se nos dessemos por contentes com o que temos. Mas as transformações demoram tempo a realizar e as mentalidades a mudar, por vezes gerações. Veja-se a título de exemplo os vários eventos culturais que foram realizados pelo concelho no passado verão. Foram muitos e variados, este ano será de repetir, cada ano irá juntar mais e mais espetadores, que não estavam habituados a ter no concelho esta oferta cultural, até poderiam desconhecer, mas se todos os anos existir, haverá um crescendo de espetadores e exigência dos mesmos. Cada ano que passa se vê uma maior participação no Festival do pão de ló, no da Francesinha, na Feira das Tradições, porque, passando a redundância, virou tradição.
Há quem reclame grandes projetos, obras emblemáticas. Sim, haverá algumas obras necessárias que não foram possíveis ainda de executar porque, da ideia no papel até à prática há um sem número de obstáculos a ultrapassar. Bastava haver, por exemplo, expropriações e só esses processos podem demorar anos a resolver. Entretanto, outros, através de folhetins até podem sugerir medidas, projetos como “inovadores”, bastando consultar os planos plurianuais e documentação para lá atestar o seu registo. Felgueiras, tal como Portugal, precisa de positivismo, de contributos, de entrega à terra e não de aproveitamento da terra.

Os felgueirenses precisam de gente de trabalho, que defenda os seus interesses onde deve ser feito sem necessidade de vaidades e exibicionismos, e não de gente que anuncia apenas no facebook que fez, sem nunca ter feito nada, menos ainda quanto lá estiveram e podiam ter feito.
Não há coisas perfeitas, Homens perfeitos e muito menos políticos perfeitos. Mas há quem trabalhe, trabalhe e trabalhe, apenas com o único propósito de proporcionar o melhor aos seus munícipes.