“Mitos” que a alguém aproveitam!

Costumo dizer que uma mentira repetida muitas vezes não se torna verdade! Recentemente, numa “discussão” online (tão frequente nos dias que correm), um amigo comentou que uma verdade repetidamente negada também não vira mentira! Em Felgueiras, frequentemente, alguns grupos tentam criar alguns mitos que lhes aproveitam, porque procuram dessa forma desvalorizar outros, e fazem-no em modo grupal, tal qual uma “seita”, com o objetivo de espalhar uma ideia que foram levados a “acreditar”, e a partir daí tentar que essa “verdade” seja verosímel… Por mais que nunca sobre o tema tenham exercido qualquer pensamento crítico!

Na área política uma das mais divulgadas, realçadas, reforçadas, é a de que em Felgueiras não existe Oposição Política ao poder PSD instalado nos Paços do Concelho… Não é necessário calcorrear muito caminho, nem gastar muito tempo a “googlar” para desfazer esta ideia que alguns genuinamente foram “doutrinados” a acreditar e a procurar “revelar”!

Se tentassem passar a ideia de que a Oposição se resume a uma força política, isso seria verdade! Mas que ela não existe não é factual: a agenda política nos últimos anos tem sido constantemente marcada pela Oposição. Marcada nos “palcos” naturais (Câmara Municipal, Assembleia Municipal, Assembleias de Freguesia), mas também no espaço mediático com propostas concretas, fiscalização apertada, identificação de problemas e de erros processuais. Infelizmente quem repetidamente foge às perguntas e aos esclarecimentos pedidos pela Oposição é o Dr. Inácio Ribeiro… Seja porque não sabe, porque não tem resposta, ou porque pretende ocultar a resposta…

Em jeito de desabafo, não fosse a Oposição Política que de facto existe em Felgueiras e, a Estrada Nacional Lixa-Felgueiras não teria sido remendada; não fosse a Oposição Política e dificilmente todos os Felgueirenses teriam conhecimento dos problemas na Escola Frei Lucas, e em outras escolas (diga-se entretanto alvo de intervenções por parte do município); não fosse a Oposição e não teria sido materializada a proposta do Estatuto Social dos Bombeiros Voluntários do município de Felgueiras (continuadamente adiada pelo Poder PSD/Felgueiras prejudicando desta forma os muitos homens e mulheres que doam muito do seu tempo em benefício dos outros nas corporações de bombeiros da Lixa e de Felgueiras); não fosse a denúncia pública da Oposição Política e o problema de abastecimento de água não teria sido denunciado nem resolvido com empenho tardio (mesmo assim demorou quase 7 dias, imagine-se se não tivesse sido denunciado publicamente); não fosse a constante insistência na fiscalização de assuntos como o Cemitério Municipal, a recuperação da rede viária, e não existiria um plano de investimentos que o Município decidiu submeter a financiamento para realização! Não fosse a Oposição e aquilo que o PSD/Felgueiras tenta “evangelizar” sobre as contas (não é por acaso que o Tribunal de Contas apenas viabilizará um empréstimo de 5,2 e não de 6 milhões – menos 13,333% – como era pretendido pelo PSD/Felgueiras), sobre a “propaganda eleitoral” do município, não seria nunca publicamente exposto, passando dessa forma ao lado da fiscalização e do crivo crítico dos felgueirenses.

Pode criticar-se a forma e o conteúdo, mas continuar a tentar “vender a ideia” de que não existe… Existe, tem incomodado, e aparentemente com resultados!

Negar a existência de Oposição em Felgueiras é praticamente igual a negar a existência de sensibilidades diferentes no PSD/Felgueiras, a negar a existência de demasiadas ambições/candidatos para lugares naturalmente limitados na lista que será obviamente liderada pelo Dr. Inácio Ribeiro!

Agora, e ainda sobre a Oposição, vale a pena é refletir se os mandatos concedidos ao surpreendente CDS liderado por Carla Carvalho foram devidamente aproveitados! Infelizmente a resposta é demasiadamente fácil: dos dois deputados eleitos para a Assembleia Municipal um está alinhado em “união de facto” com o PSD, o outro tem mantido uma posição “neutra”, e nenhum dos dois tem intervenção política nas reuniões em 3 anos de mandato!… Em última instância, esta descoordenação e falta de intervenção que existe é responsabilidade da estrutura do CDS/Felgueiras… Ou então, para o CDS só existe movimento de 4 em 4 anos, desresponsabilizando-se dos mandatos que lhes foram confiados pelos felgueirenses autárquicas de 2013…