Montalegre fora do Campeonato do Mundo de Ralicross em 2021

O Campeonato do Mundo de Ralicross (WRX) em 2021 não visitará o Circuito Internacional de Montalegre, num ano de transição para este campeonato, uma vez que em 2022 existirá a mudança para motorização elétrica em todas as categorias. Aliás, a FIA – entidade organizadora do campeonato – promete que esta mudança de Supercarros RX1 com motores de combustão para RX1e de 500kW representará a existência no WRX dos carros de competição elétricos mais rápidos, assumindo-se como um caso de estudo para as potencialidades dos automóveis de competição elétricos em outras categorias.

 

Este ano, apesar de se tratar de um Campeonato do Mundo FIA, será disputado apenas no continente Europeu, em sete países: Noruega, Suécia, Espanha, Alemanha, França, Letónia e Bélgica, em corridas agendadas apenas a partir de junho e até meados de outubro.

A decisão da organização de concentrar o campeonato geográfica e temporalmente está relacionado com a possibilidade de permitir que as provas sejam disputadas em meses em que a presença de pública será mais provável (tendo em conta a pandemia COVID-19), e proporcionar às equipas mais tempo e condições para que se adaptem e concentrem e desenvolvimento dos carros para 2022 em que a motorização será elétrica em todas as categorias do Campeonato do Mundo de Ralicross.

Esta decisão da FIA implica que a prova portuguesa está fora do calendário do WRX de 2021, sendo que é um circuito que proporcionou ao longo dos anos provas espetaculares e muito disputadas, e do agrado das equipas e pilotos. Na história do WRX, Montalegre recebeu a primeira prova da história do Mundial FIA de Ralicross, em 2014, mantendo-se no calendário até 2018, e estava previsto o regresso em 2020 mas a pandemia global motivou o cancelamento do evento. A última visita do WRC a Montalegre aconteceu em 2019 tendo o vencedor sido Johan Kristoffersson, com dois campeões do mundo de ralis: Sébastien Loeb e Petter Solberg a completarem o pódio.

A decisão da organização do Campeonato Mundial de Ralicross de não incluir a prova portuguesa no Calendário contrasta com a decisão de outros campeonatos que já asseguraram a inclusão de provas em Portugal, casos do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, do Campeonato do Mundo de Motociclismo (MotoGP), do Campeonato do Mundo de Resistência (WEC) e do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC).