Mosteiro de Pombeiro, em Felgueiras, acolhe concerto da Orquestra do Norte

A iniciativa, designada de "Beethoven na Rota do Românico", vai ser dinamizada pela Orquestra do Norte

O Mosteiro de Pombeiro, em Felgueiras, acolhe hoje, pelas 18:00, um concerto no âmbito dos Palcos do Românico.

A iniciativa, designada de “Beethoven na Rota do Românico”, vai ser dinamizada pela Orquestra do Norte.
A Sinfonia n.º 1 de Beethoven ocupa um lugar único na história da música sinfónica. Os primeiros esboços desta sinfonia remontam a 1795, mas só cinco anos mais tarde viria a ser dada como concluída. É uma obra magnífica que marca a fusão entre o estilo clássico e romântico e continua a inspirar o reportório dos grandes maestros do século XXI.
Em 1806, Beethoven surpreende uma vez mais o mundo da música como seu espírito inovador. Naquela que é por muitos considerada a fase mais criativa da sua carreira, apresenta ao público o Concerto para violino e orquestra em ré maior, OP. 61. O protagonismo de um instrumento musical (violino), é o principal fator que confirma a curiosidade do compositor na busca de novos formatos para a música clássica.
Essa mesma curiosidade conduz-nos à última sinfonia completa composta por Beethoven. Concluída em 1824, a Sinfonia n.º 9 em ré menor, OP. 125, “Coral”, ocupa um lugar único no reportório clássico ocidental. O último andamento – “Ode à alegria” – é de todos o mais popular. Com efeito, após ter sido trabalhado pelo célebre maestro Herbert von Karajan tornou-se o hino da União Europeia.