Mural de 25 metros na fachada da Cooperativa de Felgueiras exalta futuro do vinho verde

A fachada principal da Cooperativa Agrícola de Felgueiras foi decorada com um mural de 25 metros de comprimento, pelo ‘grafiter’ Francisco Camilo, para exaltar a ponte entre a tradição e o futuro do vinho verde.

“Queremos passar a ideia de que o vinho verde tem futuro, através da passagem de conhecimento do passado para uma jovem, que lhe dará seguimento”, disse à Lusa fonte da instituição.

O ‘grafiter’ Francisco Camilo junto à sua obra | FOTO: Armindo Mendes
O ‘grafiter’ Francisco Camilo junto à sua obra | FOTO: Armindo Mendes

A obra, de cores vivas, tem uma área total de 150 metros quadrados (25 metros de comprimento por seis de altura), demorou cerca de 15 dias a ser elaborada e já pode ser observada para quem passa de carro ou a pé numa das entradas principais da cidade, dando uma visibilidade acrescida à mensagem que a cooperativa pretende transmitir.

“Reproduzir a passagem de testemunho”

A obra representa duas figuras humanas, nomeadamente um senhor idoso, sorridente, e uma jovem com expressão feliz, em tarefas ligadas à viticultura, procurando reproduzir a passagem de testemunho, numa atividade tradicional no concelho, mas com futuro e potencial para os jovens, segundo Rui Pinto, diretor da intuição.

Mural cooperativa de Felgueiras2

Na pintura estão também representadas as castas produzidas na região e o modo de trabalho nas vinhas novas.

“Trata-se de um modo diferente de comunicar a instituição, com uma visão mais arrojada, sendo a primeira obra deste género na região dos vinhos verdes”, assinalou, em declarações à Lusa.

O ‘grafiter’ Francisco Camilo junto à sua obra, acompanhado de Rui Pinto, diretor da Cooperativa| FOTO: Armindo Mendes
O ‘grafiter’ Francisco Camilo junto à sua obra, acompanhado de Rui Pinto, diretor da Cooperativa| FOTO: Armindo Mendes

Na preparação do mural, vincou ainda o diretor, houve a preocupação de utilização de tintas de boa qualidade para assegurar que a obra perdure cerca de uma década.

O artista plástico Francisco Camilo, de 26 anos, de Santarém, destacou-se recentemente por ter trabalhado num mural na Adega da Fiusa, no Ribatejo, dedicada à tradição vitivinícola. É também autor de várias obras internacionais.

O trabalho realizado em Felgueiras será inaugurado no dia 07 de julho, constituindo um dos pontos altos das comemorações dos 60 anos da instituição.

Apesar de estar sediada num dos concelhos mais industrializados de Portugal, com prevalência do setor do calçado, a Cooperativa Agrícola de Felgueiras é uma das maiores do país, ocupando os primeiros lugares na produção e exportação de vinho verde, kiwis e espargos, entre outros produtos.