Nuno Fonseca não aceita mudança de regras “a meio do jogo” que prejudicam a população e as empresas

FOTO: ARMINDO MENDES

O presidente da Câmara de Felgueiras, Nuno Fonseca, disse hoje não aceitar que o Governo “mude a regras para o concelho a meio do jogo”, prejudicando a população e as empresas do concelho.

 

“Não posso permitir que aconteçam novas regras, alteradas a meio do jogo, para servir alguns interesses e que prejudicam a minha população e as empresas do concelho”, vincou o autarca, em declarações ao Expresso de Felgueiras.

Em causa, está a vinda a público da intenção do Governo de implementar medidas mais restritivas para os concelhos de Felgueiras, Paços de Ferreira e Lousada.

Nuno Fonseca diz “perceber a dificuldade do Governo em decidir”, mas realçou que o número de novos casos de infeção por covid-19 no concelho é diferente no agrupamento de centros de saúde, na Administração Regional de Saúde do Norte e na Direção-Geral da Saúde (DGS)”.

“Os dados não permitem decidir corretamente”, frisou.

O presidente da Câmara de Felgueiras manifestou-se, ainda, preocupado com as empresas do concelho, maioritariamente dedicados ao setor do calçado, realçando que “é impossível mandar os trabalhadores destas empresas para teletrabalho”.

“Se for para obrigar a encerrar as empresas, então o Governo terá de injetar dinheiros a fundos perdidos para garantir a sustentabilidade das empresas”, defendeu.

Outra das preocupações de Nuno Fonseca prende-se com a restauração e similares. O autarca defendeu o alargamento do horário de encerramento, aos fins de semana, para as 14:30 ou a possibilidade dos restaurante e padarias, por exemplo, terem cinco horas de abertura por dia, podendo escolher o horário com maior afluência de clientes.