Nuno Fonseca quer contornar consequências da covid-19 e afirmar concelho

O presidente da Câmara de Felgueiras, Nuno Fonseca, reconheceu hoje as consequências da pandemia da covid-19 nas empresas e famílias do concelho, mas garantiu que a autarquia está empenhada em “afirmar Felgueiras como o concelho do país que mais irá crescer na próxima década”.

 

Em declarações ao Tâmegasousa.pt, Nuno Fonseca disse ter previsto que o surto da covid-19 no concelho, um dos primeiros de Portugal a ter casos positivos, iria ter consequências económicas nas empresas e famílias.

“Procurámos antever as consequências deste flagelo e promovemos o contacto, através dos meios possíveis, para perceber quais os problemas com que cada área de atividade se deparava”, revelou.

Para além da indústria do calçado, no concelho proliferam empresas ligadas à metalomecânica e todo o comércio, com foco no setor primário, nomeadamente no setor vitivinícola, a agricultura e outras pequenas indústrias consolidadas que criam centenas de postos de trabalho e que geram riqueza.

 

acção de sensibilização Covid 19 Felgueiras viaturas Nuno Fonseca (3)

 

Para perceber a situação do concelho, a autarquia promoveu reuniões individuais e coletivas com as várias instituições locais, com o comércio e com os industriais.

“Fizemos um levantamento exaustivo das preocupações de todos e tentamos desbloquear processos junto das entidades competentes”, disse o autarca, avançando que pretende a instalação no concelho de empresas ligadas às novas tecnologias.

“Queremos criar uma oportunidade para os empresários desta terra poderem também investir em nessas empresas, seja de forma direta, seja através de fundos de investimentos, pois mais do que nunca, e o que percebemos desta pandemia, é que elas são ferramentas de trabalho importantíssimas e que vieram para ficar”, disse.

Nuno Fonseca sublinhou, ainda, que o futuro em Felgueiras “centrar-se-á em assegurar a qualidade de vida das famílias, em colaborar com as empresas para que elas se mantenham ativas e fortes e em continuar a requalificar os espaços públicos de forma a permitir uma maior sociabilização da população, mais segurança, maior atratividade e, desta forma, contribuir para uma maior dinâmica económica”.

 

“Maioria dos felgueirenses tem tido um comportamento exemplar na adoção de medidas”

Fazendo um balanço da pandemia no concelho e do estado de emergência decretado pelo Governo, Nuno Fonseca considerou que “a maioria dos felgueirenses tem tido um comportamento exemplar na adoção de medidas”.

“Como todos sabemos, é difícil conter a propagação num concelho que nunca parou”, constatou o edil, acrescentando: “temos milhares de pessoas a trabalhar em fábricas e que mantiveram contacto social desde o início desta pandemia até agora”.

 

Centro de acolhimento à dodiv 19 Felgueiras02

 

O concelho de Felgueiras tem hoje 385 casos positivos de covid-19, sendo o concelho com maior número de pessoas infetados na região do Tâmega e Sousa, de acordo com os dados da Direção-Geral da Saúde.

Sobre os números, Nuno Fonseca salienta que “apesar dos mais de 300 casos registados, o resultado é positivo e isso deve-se, em grande parte, à responsabilidade individual dos munícipes”.

“Conto com eles para continuarem a adotar medidas preventivas nesta fase importante em que o país começa a retomar a sua atividade”, frisou.

 

Surto trouxe implicações económicas “devastadoras” para o concelho

Num dos concelhos mais industrializados da região Norte e onde proliferam empresas do setor do calçado, que representam uma grande fatia das exportações nacionais, o surto da covid-19 trouxe implicações económicas “devastadoras” para o concelho e para todo o território nacional.

Desde cedo que a Câmara de Felgueiras começou a tomar medidas, não só no sentido de evitar a progressão do vírus no concelho, mas também já a pensar em minorar os efeitos financeiros que as famílias iriam sentir.

Nuno Fonseca aponta a criação de uma rede de apoio social constituída por voluntários e juntas de freguesia que assegurou, entre várias coisas, a entrega de refeições e medicação a famílias em isolamento profilático ou a seniores sem retaguarda familiar, a entrega de refeições aos sem-abrigo do concelho, a entrega de cabazes alimentares a famílias com carências especiais e a entrega de alimentação e cabazes alimentares a alunos dos escalões carenciados.

 

Centro codiv Felgueiras

 

A autarquia assegurou, ainda, o apoio nos testes de rastreio de profissionais e utentes afetos a lares, forças de segurança e proteção civil, bem como a montagem do Centro de Rastreio no Hospital Agostinho Ribeiro.

Para minorar os efeitos económicos da pandémica, quer nas famílias, quer nas empresas, a Câmara de Felgueiras optou por um conjunto de medidas, nomeadamente, nas faturas de água, saneamento e lixo, bem como a prorrogação dos prazos de pagamentos de faturas.

“Existem, ainda, medidas a serem trabalhadas para dar respostas a famílias e empresas na recuperação económico-social”, avançou Nuno Fonseca.