“O Sol Não Anda” de José Carlos Pereira é apresentado hoje em Felgueiras

O livro infantojuvenil “O Sol Não Anda”, do autor felgueirense José Carlos Pereira, com ilustrações de Beatriz Félix e mentoria editorial de Lília de Castro e Costa é apresentado hoje em Felgueiras.

 

A apresentação está agendada para as 21:00, na Igreja Nova de Lagares, numa sessão que contará com a presença de alunos da Escola EB1 de Felgueiras (Escola de Moutelas) e do Conservatório de Música de Felgueiras. A apresentação do livro será feita por Lúcia Guimarães.

Este novo livro de José Carlos Pereira, “O Sol Não Anda”, é um conto infantojuvenil destinado a crianças entre os seis e os 10 anos de idade que apela ao diálogo entre pais e filhos, abordando temas relacionados com o meio ambiente e o universo, com uma forte componente didática.

 

 

Depois de se ter estreado nesta área da literatura com a obra “Miguel Sarapintas e o Pinto de Três Patas”, José Carlos Pereira volta a editar um livro com uma forte componente de sensibilização social e formativa, pois como referiu o autor ao Expresso de Felgueiras “é fundamental transmitir uma mensagem que ajude a humanizar as relações sociais, incluindo os familiares, numa sociedade de consumo que nos consome a todos, o nosso tempo de vida, os afetos e a nossa formação cívica e cultural. Além deste objetivo de humanização, é também importante transmitir conhecimentos literários e científicos com pedagogia concreta e assertiva”.

O autor felgueirense tem-se dedicado a esta área da literatura para os mais novos, depois de se ter iniciado na poesia, porque “encontra no imaginário da criança o poético maravilhoso, a inocência e os porquês.

“Daí ter-me lançado nos contos infantojuvenis. A criança, no seu crescimento, defronta o real com espanto. E o espanto, a descoberta”, revelou José Carlos Pereira ao Expresso de Felgueiras, assumindo também que a escrita destes livros lhe tem permitido regressar à sua própria infância.

Na sessão de apresentação do livro “O Sol Não Anda” será homenageado o padre Horácio Gomes, uma figura do clero felgueirense que teve participação ativa no associativismo cultural no concelho e que faleceu em novembro de 2020.

 

Hélder Quintela