Organização internacional “Capacetes Brancos” homenageada no Terra Justa em Fafe

A organização internacional “Capacetes Brancos”, conhecida pelo trabalho humanitário que desenvolve em cenários de guerra, vai ser homenageada no evento “Terra Justa”, em Fafe, no dia 18, avançou hoje à Lusa fonte do evento.

A fonte assinalou o caráter atual daquela homenagem, atendendo ao trabalho que aquela organização, constituída por voluntários, tem desempenhado no conflito da Síria, onde tem ajudado a salvar milhares de civis e perdeu cerca de 200 dos seus membros.

A “white Helmets”, como é conhecida a organização em termos internacionais, é formada por cerca de 3.000 voluntários, de várias profissões, e opera em vários cenários de guerra no apoio aos civis. Os “Capacetes Brancos” integram bombeiros, antigos padeiros, engenheiros, farmacêuticos, pintores, professores e estudantes que se uniram para prestar auxílio médico e ajudar no resgate de vítimas, independentemente da religião e ideologia política.

A organização internacional vai participar no Terra Justa com três elementos, um dos quais jornalista, que falarão sobre o trabalho que têm realizado em vários conflitos.

Em 2016, a organização recebeu o prémio Right Livelihood. Em 2017, um documentário sobre a atividade dos “White Helmets” na Síria venceu um Óscar, na categoria de curta-metragem.

O evento “Terra Justa” deste ano, em Fafe, vai destacar também a organização internacional Human Rights Watch e homenagear, a título póstumo, a ex-primeira-ministra portuguesa Maria de Lurdes Pintassilgo.

As atividades desta quarta edição vão decorrer de 18 a 21 de abril, em vários pontos daquela cidade minhota, seguindo o figurino das edições anteriores.

O evento promete debates, conferências, exposições e conversas de café em torno das figuras e das entidades homenageadas, envolvendo também as comunidades locais.

O centro da cidade será decorado com imagens alusivas ao Terra Justa e às mensagens em torno das causas e valores da humanidade.

APM // JGJ

Lusa/Fim