Para a história!…

Existem muitas situações em que as instituições se confundem com as pessoas que as integram e/ou lideram, por vezes de forma muito positiva, mas em outras com impacto negativo nas mesmas. Não é o caso desta pessoa, nem desta instituição. O Prof. José Campos dedicou, de forma intensa, dedicada, competente, honesta e responsável, 38 anos da sua vida ao Corpo de Bombeiros da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Lixa, contribuindo para que a Associação seja hoje melhor, maior, que esteja melhor preparada para o futuro, deixando um legado, uma herança incalculável. A forma como atuou ao longo de quase 4 décadas permitiu solidificar as fundações de uma instituição centenária. Embora não seja natural do concelho de Felgueiras, José Campos prestou ao longo da sua vida serviços de enorme valor ao concelho do ponto de vista autárquico, social, humanitário, e por isso na hora da sua saída do Comando dos B.V. da Lixa a única palavra que lhe posso endereçar traduz um sentimento de agradecimento certamente unânime: obrigado!

No concelho de Felgueiras este mês de setembro/2016 fica indubitavelmente marcado pela despedida do Prof. Campos do Comando dos Bombeiros da Lixa, mas do ponto de vista político fica marcado pela rentrée organizada pelo PSD/Felgueiras, e pela “nega” do Tribunal de Contas ao empréstimo pretendido pelo Município no valor de 6 milhões de euros. Os dois acontecimentos acabam por estar umbilicalmente ligados uma vez que o PSD/Felgueiras e o Executivo Municipal se confundem, liderados pela mesma pessoa (que tratou de o ser após a sua primeira eleição para Presidente de Câmara), com membros do Executivo e da Assembleia Municipal na Comissão Política, que passou também a integrar pessoas com intenção de chegarem ao Executivo nas próximas autárquicas. Sobre este assunto já dissertei há algumas edições atrás, e por mais que alguns tentem naturalmente relativizar as mudanças operadas na estrutura do PSD/Felgueiras e que incluíram promoções e despromoções, entradas e saídas, em rigor não se pode negar a existência de sensibilidades diferentes, de sensibilidades “feridas” na estrutura local dos sociais-democratas. Tal como não se pode negar a existência de demasiadas ambições/candidatos aos lugares naturalmente limitados na lista do PSD que se apresentará às autárquicas. Sobram candidatos a candidatos na estrutura laranja e, escasseiam lugares para distribuir pelas pessoas que têm por várias formas manifestado os seus anseios! Até porque é notório na estrutura do PSD/Felgueiras uma grande preocupação com a Oposição, pela forma como o Partido Socialista tem vindo a marcar a agenda política, com a exposição mediática de vários assuntos problemáticos para a maioria PSD na Câmara Municipal de Felgueiras, dando voz pública ao grande número de felgueirenses desiludidos com a prestação do Executivo liderado pelo Dr. Inácio Ribeiro, e que culminou recentemente com o facto do Tribunal de Contas não validar um empréstimo de 6 milhões de euros como era pretendido. Em consequência foi “solicitada” uma redução de 13,33%, ou seja um empréstimo que passou para 5 milhões e 200 mil euros. Esta imposição de redução pelo Tribunal de Contas está ligado ao estado das contas do município, e demonstra que apesar da máquina de comunicação que o PSD tem instalada, a verdade acaba sempre por vir à tona, e que a Oposição está atenta. Tão atenta que o assunto ainda só tinha sido discutido em reunião de Câmara e já estava a ser levantado na Reunião da Assembleia Municipal e depois mediatizado no espaço público! De facto, a pergunta que muitos felgueirenses fazem é porque é que não havendo obra significativa executada ou projetada no concelho de Felgueiras onde tem sido gasto tanto dinheiro… Sendo que uma boa parte dele (significativa aliás) provém dos impostos cobrados pelo município aos felgueirenses!…

Entretanto, a maioria do PSD/Felgueiras na C.M.F. organiza num curto espaço de tempo mais duas festas, e coloca mais alguns outdoors claramente com fins eleitorais… Sim, a pré-campanha já começou e Inácio Ribeiro sendo realista (embora estando muitas vezes ausente em digressão) está certo das dificuldades eleitorais que o esperam!