Poder de compra dos habitantes de Felgueiras em 2019 ficou abaixo da média nacional

Em 2019, o poder de compra dos habitantes do concelho de Felgueiras foi inferior à média nacional e encontrava-se na região (NUTS III) com um dos mais baixos valores do ranking, revela o Instituto Nacional de Estatística, num estudo publicado recentemente.

 

Segundo a 14ª edição do Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio, publicado no final da semana passada, o Indicador per Capita (IpC) do poder de compra dos felgueirenses foi de 80,53, o segundo mais alto valor registado no Tâmega e Sousa, mas inferior à média nacional de 100.

O Indicador per Capita (IpC) do poder de compra pretende traduzir o poder de compra manifestado, em termos per capita, nos diferentes municípios ou regiões, tendo por referência o valor nacional (Portugal = 100).

De acordo com o estudo, o Tâmega e Sousa encontrava-se no grupo de quatro sub-regiões onde o poder de compra se situava abaixo dos 80% da média nacional, com um registo de 73,7.

O mais baixo valor do índice, a nível das regiões, situou-se na sub-região do Alto Tâmega, com um valor de 70,3.

Nos primeiros três lugares do Tâmega e Sousa encontram-se Paços de Ferreira (80,50), Felgueiras (80,33) e Penafiel (79,72).

Os valores mais baixos registaram-se em Baião (59,48), Cinfães (59,43) e Celorico de Basto (57,47).

Segundo o estudo, em 2019, só em 10% dos municípios (32 em 308) o poder de compra foi superior à média nacional.

Metade destes concelhos integram as Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto.

O Município de Lisboa foi o único que mais que duplicou, em 2019, o índice nacional do poder de compra concelhio.