PSD critica câmara por querer construir bairro de rendas acessíveis junto à igreja de Margaride

Para aquele partido da oposição, construir tantos apartamentos, com aquela tipologia, num terreno situado no centro da cidade, vai acentuar os constrangimentos que já se observam na zona, piorando a qualidade de vida dos residentes

FOTO: Armindo Mendes (Direitos Reservados)

O PSD/Felgueiras critica a câmara liderada por Nuno Fonseca por pretender construir um bairro de rendas acessíveis, com 120 casas, no centro de Felgueiras, junto à igreja de Margaride.

 

Para aquele partido da oposição, construir tantos apartamentos, com aquela tipologia, num terreno situado no centro da cidade, vai acentuar os constrangimentos que já se observam na zona, piorando a qualidade de vida dos residentes.

Deputado Municipal Eduardo Teixeira, no uso da palavra | FOTO: Armindo Mendes (Direitos Reservados)

 

Na última assembleia municipal, o deputado Eduardo Teixeira lembrou que o futuro bairro vai agravar os problemas de estacionamento e de circulação rodoviária, que já são, atualmente, uma dor de cabeça para os felgueirenses.

FOTO: Armindo Mendes (Direitos Reservados)

 

O PSD diz não discordar da necessidade de construção do bairro, mas insiste que a sua localização é errada, devido ao impacto negativo que vai ter, com tantos prédios concentrados numa zona tão limitada.

A câmara aprovou a aquisição do referido terreno, junto à igreja de Margaride e à capela mortuária, com uma área de 17 mil metros quadrados, por 1,2 milhões de euros.

O presidente da Câmara, Nuno Fonseca, no uso da palavra | FOTO: Armindo Mendes (Direitos Reservados)

 

Para o presidente Nuno Fonseca, a localização é positiva, porque o lote se encontra numa zona privilegiada, justificando o seu preço.

“É um preço bom para o município”, defendeu, acrescentando: “É um terreno que há muitos anos tem sido procurado por vários investidores, pela sua proximidade ao núcleo central”.

Nuno Fonseca espera ser possível garantir que a Estratégia Local de Habitação comparticipe a aquisição do terreno, se possível na totalidade.

 

PSD pergunta se câmara não terá terrenos para construir o bairro

 

Ainda sobre esta matéria, o PSD recorda que a câmara é possuidora de parcelas de terrenos noutras áreas, onde aquele complexo habitacional poderia ser eventualmente executado, sem onerar tanto os cofres do município com esta aquisição.

“Este género de construção não deve ser concentrado no mesmo local. Pode ser disperso pela cidade e por outros pontos do concelho, com terrenos muito mais baratos”, considerou.

Ironizou ainda que o executivo “gosta muito de comprar terrenos”.

“Compra aqui e vende ali”, disse, comparando a autarquia a uma agência imobiliária.