Região é a que mais contribui para a balança comercial do país

Para o representante dos empresários, aquele território “tem condições para, na próxima década, ser a região em Portugal e da Europa com melhores índices de crescimento”

FOTO: Armindo Mendes

O presidente do Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa (CETS) disse hoje à Lusa que a região é a que mais contribui para a balança comercial do país.

Segundo Luís Miguel Ribeiro, aquele território destaca-se por apresentar a melhor taxa de cobertura entre importações e exportações, superior a 240%.

O dirigente representa as empresas da região que lidera os indicadores nacionais de exportação nos setores de calçado, mobiliário, vinho verde e extração e transformação de granitos.

Luis Miguel Ribeiro acompanhou hoje Miguel Frasquilho, presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, na visita que realizou à região.

À Lusa o empresário disse ter sido possível mostrar ao representante da AICEP o “grande potencial económico da região”.

“A vinda de Miguel Frasquilho serve para refletirmos sobre estes dados, para estimularmos os nossos empresários e percebermos que não estamos sozinhos”, afirmou.

Miguel Frasquilho visitou hoje duas empresas exportadoras, a primeira do setor dos granitos, em Alpendurada, Marco de Canaveses, e a segunda de produção de calçado, em Felgueiras.

No final, reuniu-se na sede do CETS, em Felgueiras, com representantes das várias associações empresariais.

O presidente do CETS sublinhou que o maior património da região é ter uma das populações mais jovens do país e da Europa, o que, anotou, “faz toda a diferença em termos de recursos humanos para as empresas”.

Para o representante dos empresários, aquele território “tem condições para, na próxima década, ser a região em Portugal e da Europa com melhores índices de crescimento”.

Defendeu também que a parceria que existe entre instituições que representam os empresários e os autarcas, traduzida em vários planos estratégicos e sectoriais, vai permitir à região captar uma fatia significativa dos fundos do próximo quadro europeu destinado a estimular e economia.

O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) sublinhou hoje, em Felgueiras, o exemplo da região Tâmega e Sousa, por ser a que apresenta o melhor indicador do país na taxa de cobertura das importações pelas exportações.

“É um exemplo a seguir pelo resto do território nacional”, afirmou, considerando tratar-se de uma região “extraordinariamente dinâmica”.

 

APM.

Lusa/fim