Semanário de Felgueiras completa 30 anos a pensar no futuro

O Semanário de Felgueiras “nasceu” a 01 de junho de 1990 e ainda é hoje uma referência para Felgueiras, mantendo-se como o único jornal em suporte papel no concelho.

 

O jornal comemora hoje 30 anos de existência e assinala-os com uma edição especial, numa época em tudo diferente e com desafios nunca antes imaginados para o jornalismo.

Desafios de modernidade, com a era digital muitas vezes a sobrepor-se ao papel, e aquele que hoje não se pode contornar: a pandemia da covid-19, que veio mudar ritmos de vida e, de certa forma, a maneira de fazer jornalismo.

Manuel Faria, fundador e proprietário do jornal, falou com o Expresso de Felgueiras e destacou alguns dos momentos mais marcantes do projeto Semanário de Felgueiras.

processed

À nossa redação, Manuel Faria destacou a criação do jornal e a celebração do primeiro ano, que contou, então, com a participação de individualidades do concelho e do país.

“Daí para cá foi um conjunto de edições, umas mais bem conseguidas do que outras, mas sempre palpitando a comunidade felgueirense”, disse, destacando, ainda, os períodos eleitorais, “nem sempre os mais positivos”.

Jornal semanário com especial dedicação à comunidade do concelho de Felgueiras, o seu fundador não deixou de lembrar os “registos de pessoas simples, das instituições do concelho” feitos ao longo de 1.342 edições publicadas.

Manuel Faria realçou, também, os vários diretores do jornal, “que ajudaram a atravessar o tempo com serenidade e equilíbrio”.

O DESAFIO DO DIGITAL SEM ESQUECER O PAPEL

Mas os desafios para um jornal como o Semanário de Felgueiras apresentam-se diariamente e é com a era digital que a publicação lida agora para chegar a mais público, sobretudo ao mais jovem.

Manuel Faria salientou que “a transformação para o digital criou um esvaziamento do público do jornal em papel”, mas o Semanário “tem-se mantido regularmente e criou leitores fiéis”.

NOVO SITE EM PREPARAÇÃO E MUSEU DO SF VAI TAMBÉM ACONTECER

O futuro não vai deixar o papel de parte, embora Manuel Faria tenha adiantado novos projetos ao nível do digital, nomeadamente, a renovação do “site” do Semanário de Felgueiras.

“Procurámos sempre cuidar da história do jornal e estamos a pensar na publicação de matérias históricas do jornal. Prevista está também a criação de um museu sobre a vida do jornal, com uma sala para consulta de publicações do Semanário de Felgueiras, mas também de outras publicações do concelho”, adiantou Manuel Faria.

A direção do jornal está nas mãos de Susana Faria, filha do fundador, “uma nova geração, com mais ideias para o futuro, mas que irá sempre privilegiar a génesis da publicação, sobretudo, as grandes entrevistas a pessoas com histórias da terra”, garantiu Manuel Faria.