Sindicato exigiu à Câmara de Felgueiras reposição das 35 horas

Lurdes Ribeiro, dirigente daquele sindicato, explicou à Lusa que o documento foi assinado por trabalhadores dos estabelecimentos de ensino do concelho, até ao terceiro ciclo, que têm vínculo laboral à autarquia

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Norte (STFPSN) entregaram hoje, na Câmara de Felgueiras, um abaixo-assinado, subscrito por 145 funcionários das escolas, a exigir a reposição das 35 horas semanais.

Lurdes Ribeiro, dirigente daquele sindicato, explicou à Lusa que o documento foi assinado por trabalhadores dos estabelecimentos de ensino do concelho, até ao terceiro ciclo, que têm vínculo laboral à autarquia.

A sindicalista criticou o facto de Felgueiras ser “uma espécie de ilha da região”, porque nos concelhos mais próximos, como Vizela, Lousada, Amarante, Marco de Canaveses ou Penafiel está em vigor o regime das 35 horas semanais.

“Os trabalhadores de Felgueiras sentem-se discriminados”, comentou.

Os representantes dos trabalhadores contaram à Lusa que foram recebidos por uma vereadora da autarquia responsável pelos recursos humanos.

A autarca explicou que a reposição das 35 horas ainda não foi concretizada, porque o município aguarda do Governo uma clarificação sobre a matéria.

A sindicalista explicou à Lusa que há alguns meses foi possível acordar com a câmara a redução do horário, mas a aplicação do entendimento carece, na ótima do município, de uma indicação do Governo.

O abaixo-assinado de hoje, com 145 trabalhadores, representa, segundo a sindicalista, cerca de metade dos funcionários da escolas do concelho de Felgueiras que exigem à autarquia as 35 horas semanais.