Tâmega e Sousa e Porto vão avaliar a construção da linha do Vale do Sousa

Os municípios do Tâmega e Sousa, a Área Metropolitana do Porto e a Infraestruturas de Portugal acordaram avançar para a avaliação preliminar da construção da linha ferroviária do Vale do Sousa, informou hoje fonte autárquica.

 

No acordo colaboram também os municípios atravessados por aquela infraestrutura de transportes: Felgueiras, Lousada, Paços de Ferreira, Paredes e Valongo.

“Com a celebração deste acordo pretende-se desenvolver os estudos necessários à caracterização da situação e à avaliação da viabilidade e adequabilidade desta nova linha ferroviária às necessidades dos concelhos”, lê-se num comunicado enviado à Lusa pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM).

A avaliação preliminar, acrescenta a CIM, consistirá no desenvolvimento de vários estudos, com o primeiro dos quais para avaliar “as condições para implementação de um sistema ferroviário, incluindo o modelo de exploração, traçados, localização das estações, frequências de serviço, custos e impacto da nova linha na estrutura horária existente”.

Outro estudo determinará a viabilidade técnica e ambiental, para avaliar a exequibilidade, do ponto de vista da engenharia e das soluções de comboio pesado e ligeiro.

Está também previsto avaliar a procura potencial de passageiros e análise de custo-benefício, para verificar a viabilidade do projeto.

À CIM do Tâmega e Sousa, em parceria com a Área Metropolitana do Porto, através dos respetivos municípios, caberá realizar o estudo de procura, através do qual se pretende determinar, com maior exatidão e contexto envolvente, o potencial de passageiros associados à implementação do projeto.

Os restantes estudos serão realizados pela Infraestruturas de Portugal.

A linha ferroviária do Vale do Sousa, reclamada pelos cinco municípios, está incluída no Programa Nacional de Investimentos 2030.

Um estudo prévio da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, recentemente divulgado, concluiu que uma ligação ferroviária entre Valongo (Linha do Douro) e Felgueiras, reclamada pelo território, gerará resultados positivos de quatro milhões de euros por ano.

Estima-se que a infraestrutura seria integrada no serviço suburbano do Porto da CP, que ganharia cerca de sete milhões de passageiros por ano, apontando-se a duas ligações por cada hora de ponta a partir de Felgueiras e uma a partir do Porto.

A construção de uma nova via-férrea entre a Linha do Douro, em Valongo, e Felgueiras (38 quilómetros), passando por território de Paredes, Paços de Ferreira e Lousada, designada como “Linha do Vale do Sousa”, representaria um custo de 181 milhões de euros.

A aquisição de material circulante poderia obrigar a um custo de 27 milhões de euros.

 

APM // ACG

Lusa/fim