Ultrapassados os problemas no arranque do ano letivo na ESTG, assegura direção

O arranque do ano letivo não foi fácil para a Escola Superior de Tecnologia e Gestão – ESTG, que registou avarias no ar condicionado, atrasos no serviço de cantina e uma infestação de ratos, mas a direção assegura que os problemas estão ultrapassados.

 

O processo de contratação de um novo fornecedor do Instituto Politécnico do Porto – IPP, que ainda não estava concluído no início do ano letivo, em outubro, causou atrasos no arranque dos serviços das cantinas da instituição, nomeadamente na Escola Superior de Gestão e Tecnologia – ESTG, em Felgueiras.

A explicação foi avançada pela presidente da ESTG, Dorabela Gamboa, que, em declarações ao EXPRESSO DE FELGUEIRAS, abordou vários problemas que foram, recentemente, apontados à instituição.

De acordo com a diretora, o atraso no arranque da cantina, que serve refeições de baixo custo aos seus alunos, foi agravado pela decisão, por parte dos serviços de ação social do IPP, de realizar obras naquele equipamento enquanto se aguardava pela conclusão do concurso público.

 

Dorabela Gamboa, presidente do conselho diretivo da Escocla de Gestão e Tecnologia ESTG
Dorabela Gamboa, presidente do conselho diretivo da Escola de Gestão e Tecnologia ESTG

 

“Ninguém estava mais preocupado que nós, por este atraso, porque sabemos o quão importante é, para os alunos, ter uma boa refeição e de valor acessível”, assegurou. Adiantou ainda que “sempre fez pressão, junto dos serviços de ação social do IPP”, para que o problema se resolvesse e rapidamente.

“A cantina da ESTG está a funcionar em pleno”

Atualmente, confirma, a cantina da ESTG está a funcionar em pleno, servindo refeições distintas, ao almoço e ao jantar.

“O problema acabou por ser resolvido, não no espaço de tempo que gostaríamos, mas, mesmo assim, ainda no início do primeiro semestre”, adianta.

A presidente da direção abordou, ainda, a questão de uma aparente infestação de ratos no ‘campus’, começando por recordar que as instalações se encontram rodeadas de campos agrícolas e uma obra, ao lado da escola, que está a mover grandes quantidades de solo.

“Houve, de facto, um avistamento de ratos, que nos foi comunicado”, confirma, assegurando que a direção tomou, de imediato, as medidas necessárias.

“Não eram muitos, aparentemente, mas claro que ninguém gosta de os ver”, admitiu, explicando que, em resposta, a instituição reforçou as existentes medidas de controlo de pestes.

“A empresa que fornece o serviço duplicou a quantidade de engodos e, até hoje, não nos foram comunicados novos avistamentos. Mesmo assim, continuaremos a monitorizar a situação”, garante.

Problema no temporizador no ar condicionado

Por último, Dorabela Gamboa confirmou que tem havido problemas com o ar condicionado da escola, mas explicou que a avaria terá sido difícil de localizar, porque todo o sistema aparenta estar em boas condições de funcionamento.

“Em princípio, há um erro no temporizador, que aparenta estar a desligar o sistema à terça-feira em vez de domingo. Sendo assim, acredito que ainda esta semana teremos essa questão resolvida”, concluiu.