Universidades apoiam rede de apoio ao empreendedorismo na região (C/ÁUDIO)

Segundo 10, presidente da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIMTS), entidade promotora do projeto, caberá àquelas instituições de ensino superior dar apoio técnico aos balcões previstos para os 11 concelhos

A rede de apoio ao empreendedorismo no Tâmega e Sousa vai ter balcões de atendimento nos onze municípios que trabalharão em rede com o Politécnico do Porto e a UTAD, disse à Lusa fonte do projeto.

Segundo Gonçalo Rocha,  presidente da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIMTS), entidade promotora do projeto, caberá àquelas instituições de ensino superior dar apoio técnico aos balcões previstos para os 11 concelhos.

Em declarações à Lusa, o autarca de Castelo de Paiva explicou hoje que aquela assessoria garantirá a qualidade técnica e direcionamento necessários para quem quiser obter informações sobre oportunidades e investimento.

A Universidade de Trás-os-Montes de Alto Douro (UTAD) e o Instituto Politécnico do Porto (IPP), através da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras (ESTGF), serão parceiros do projeto,

“Creio que, também por isso, estamos perante um projeto inovador”, reforçou o presidente da comunidade intermunicipal.

O funcionamento dos gabinetes resultará, por outro lado, de parcerias entre os municípios e as associações empresariais, através do Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa (CETS), também parceiro no projeto.

Na prática, explicou, haverá dois gabinetes a funcionar em cada município, um nos paços do concelho e outro nas sedes das associações empresariais.

Os funcionários daqueles serviços receberão formação adequada para poderem estar habilitados a responder às dúvidas que os empreendedores formularem.

“Este é um modelo que elaborámos em articulação com as empresas da região. Nós, autarcas, queremos, desta maneira, ser agentes mobilizadores da atividade económica no território”, observou Gonçalo Rocha.

Além disso, o programa prevê a atribuição de prémios aos empresários em atividade ou novos empreendedores que apresentem as melhores ideias.

“É um incentivo e um sinal que damos para distinguir os melhores projetos e um sinal para os jovens da nossa região que queiram empreender e revelar o seu valor”, comentou ainda o edil a propósito do prémio “Tâmega e Sousa Empreendedor – Onde as ideias se concretizam”.

O projeto, no seu conjunto, será apresentado, na quarta-feira, em Penafiel.

Segundo o edil, as medidas serão apoiadas por fundos do anterior quadro comunitário, mas Gonçalo Rocha disse esperar que “o mérito do modelo adotado” possa “servir de muleta” para os apoios do atual quadro de financiamento europeu, anotou, “muito direcionado para este tipo de parcerias”.

Recordando o potencial económico e exportador do território, Gonçalo Rocha disse esperar que os apoios agora anunciados possam ajudar a região a dar mais um passo no sentido da sua competitividade internacional, reforçando as exportações e o emprego.

O território do Tâmega e Sousa compreende os municípios de Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende.

Com cerca de 500.000 habitantes e uma área correspondente a 8,6% da zona Norte, é uma das regiões mais jovens do país

O seu tecido empresarial é dominado por micro, pequenas e médias empresas, destacando-se os setores têxtil, calçado, mobiliário, metalomecânica, extração e transformação de pedra e produção de vinho verde.

APM.

Lusa/fim