Vercoope reconhecida como a melhor adega cooperativa de 2020

A União de Adegas Produtoras de Vinho Verde – Vercoope, que integra a Cooperativa Agrícola de Felgueiras, foi reconhecida, na semana passada, como a Melhor Adega Cooperativa de 2020 pela publicação mensal “Vinho Grandes Escolhas”.

 

O prémio é o segundo reconhecimento que a comunicação social especializada concedeu à Vercoope, na qual a Cooperativa Terras de Felgueiras detém a maior participação acionista, com mais de 50% do capital, sendo também responsável por 60% do vinho verde comercializado.

Também na semana passada, a Revista de Vinhos nomeou a Vercoope como uma das quatro melhores empresas de vinhos de 2020.

Em declarações ao Expresso de Felgueiras, o presidente da Cooperativa Terras de Felgueiras explicou que o prémio reconhece o esforço realizado pela união de cooperativas, ao longo dos últimos 10 anos, para uma melhoria a vários níveis, nomeadamente na certificação de qualidade.

 

Casimiro Alves reeleito presidente da Cooperativa Agrícola de Felgueiras
Casimiro Alves presidente da Cooperativa Agrícola de Felgueiras

 

“Temos investido numa melhoria da qualidade dos nossos produtos e também na marca e imagem. O prémio é, sobretudo, um reconhecimento de todo este trabalho e um incentivo para continuar a melhorar”, salienta Casimiro Alves.

A Vercoope foi fundada em 1964 e é formada por sete adegas cooperativas da região dos vinhos verdes e mais de cinco mil produtores oriundos de Felgueiras, Amarante, Braga, Famalicão, Guimarães, Paredes e Vale de Cambra.

 

Apesar da pandemia, 2020 foi um “ano recorde” para a empresa

No ano passado, apesar do “susto” que a pandemia de covid-19 trouxe ao setor, a Vercoope registou “um crescimento forte” em vendas e faturação, anotou o dirigente.

“Começámos fortes, em janeiro e fevereiro, mas os meses de maio, abril e maio assustaram-nos. Contudo, a partir de junho, conseguimos recuperar e continuar a crescer, até ao fim do ano”, adiantou,

Aliás, acrescenta, a empresa acabou por ter um “ano recorde” com oito milhões de litros de vinho engarrafado vendidos e mais de 14 milhões de euros em faturação.

“Apesar de tudo, a pandemia não nos afetou e esperamos que não nos volte a afetar este ano, mas é claro que continuamos algo receosos com toda esta situação”, concluiu.