Vizela quer Governo a avaliar construção de emissário na ETAR de Serzedo

A Câmara e Vizela informou hoje que vai pedir ao ministro do Ambiente que avalie a construção de um emissário na estação de tratamento de Serzedo, junto ao rio Vizela, para o qual já existe projeto, mas falta financiamento.

 

Segundo a autarquia, a empresa de capitais públicos Águas do Norte, que gere aquela estação, apresentou o projeto à autarquia, numa reunião realizada na segunda-feira, mas informou não ter dotação financeira para a sua execução.

O emissário proposto pela empresa custará cinco milhões de euros e assegurará a ligação entre as estações de tratamento de águas residuais (ETAR) de Serzedo e Lordelo, ambas no concelho de Guimarães.

A autarquia de Vizela espera que a solução técnica apresentada pela empresa Águas do Norte “resolva definitivamente” a questão da poluição no rio Vizela, que o município atribui às descargas alegadamente efetuadas pela ETAR de Serzedo, alguns quilómetros a montante da cidade de Vizela.

Aquela posição será comunicada ao ministro da tutela numa reunião, entretanto já solicitada ao governante.

Na segunda-feira, o presidente da câmara, Vítor Hugo Salgado disse aos jornalistas, em conferência de imprensa, que as análises realizadas pelo município ao rio Vizela indicam que a estação de tratamento de Serzedo está a contaminar a água.

Segundo o autarca, os resultados das análises realizadas em julho às amostras captadas à saída da estação de tratamento apontam para valores acima do permitido, em termos microbiológicos e químicos.

O presidente anunciou novas medidas no âmbito da estratégia da autarquia para pôr cobro à poluição naquele afluente do Ave, destacando a convocação de uma vigília à porta do equipamento situado no concelho vizinho de Guimarães, agendada para quarta-feira, às 19:30.

O autarca informou que serão disponibilizadas centenas de velas para as pessoas acenderem junto à ETAR, sinalizando “simbolicamente o seu protesto”.

APM // MSP

Lusa/fim